A maior lenda de quem se envolve com DCE, movimentos sociais de esquerda e outras ideologias que pregam que o capitalismo é alienador através de alienação (!) é considerar que toda estrutura hierárquica é falha, tem seus defeitos e merece ser combatida com unhas e dentes porque representa todo o mal e são resquícios de uma ditadura que insiste em não morrer.


E a inimiga nº1 de todos os movimentos sociais tem nome, sobrenome, capacetes e fuzis – a Polícia Militar. Claro, os policiais não são santos ou paladinos da justiça. Claro, a corporação é super mal-utilizada. E é sobre isso que vamos falar aqui agora.

Uma das teses mais defendidas por quem tem vivência em movimentos sociais mas não tem nenhum estudo jurídico (boa parte, por sinal) é a desmilitarização da Polícia Militar e a consequente sindicalização da classe.

Esse problema, segundo seus defensores resolveria alguns problemas: (1) a corrupção dos chefes da PM (governadores de Estado que a utilizam em interesses próprios); (2) a truculência dos policiais (abuso de poder/falta de humanidade); e (3) despreparo dos policiais.

Pessoalmente eu não vejo como a desmilitarização e a sindicalização podem ajudar nesses problemas. Na verdade eu vejo até uma piora – se você pegar pra que serve um sindicato, você vai ver que a criação de um só ajuda na impunidade dos policiais truculentos:

sindicato
sm (síndico+ato3) 1 Agremiação fundada para a defesa de interesses comuns a seus aderentes. 


Ora, se o objetivo do sindicato é defender os interesses dos policiais, é claro que o sindicato vai lutar para seus membros não serem punidos – não é minha opinião, é o objetivo do sindicato.

Como a gente poderia resolver esses três problemas então, com uma cajadada só? Uma coisa que ninguém nunca levou pra frente é a ideia de se daar independência à Corregedoria da PM. Como assim, dar independência? Simples: da mesma forma que o Ministério Público é independente dos Poderes Judiciário, Legislativo e Executivo e fiscaliza as ações dos três, propondo ações e jogando merda no ventilador.

Mas Abigo, já existe um Ministério Público Militar, sim, só que não é objetivo do MPM fazer o papel da Corregedoria – a Corregedoria está no dia-a-dia da corporação, administrativamente. Se tem alguém que sabe dos defeitos da PM é o corregedor, e muitas vezes ele não tem a liberdade para investigar ou opinar que deveria ter, por estar subordinado à essa estrutura.

É a submissão da Corregedoria à estrutura-base da PM que é o combustível pro corporativismo. Como bem me apontaram, a independência da Corregedoria não exclui a desmilitarização. Não, não substitui. Mas vai desmilitarizar pra quê?

A lenda da desmilitarização da PM como a Salvação da Sociedade

Categoria: Opinião
31 views