Aproximadamente 500 milhões de telefones em todo o mundo têm WhatsApp (o que dá pra encher 11.100 Morenões, numa comparação nível jornalístico-campograndense) – e boa parte dos usuários brasileiros começou a entrar em pane desde que o serviço começou a cair e apresentar mau funcionamento depois que foi comprado pelo Facebook. Foi nesse momento também, que começou a cair a ficha na maioria dos usuários que o WhatsApp não é de graça: você só está usando um trial que dura um ano. E aí, pagar pra ver ou mudar antes que seja tarde?

Seja por medo de uma mudança radical no aplicativo, ou querendo garantir um pouco mais de sua privacidade, muitos estão procurando serviços alternativos ao WhatsApp, e você conhecê-los-á aqui, agora!


(1) Viber

Fonte da imagem: http://showmetech.band.uol.com.br/viber-e-lancado-para-android-faca-ligacoes-voip-para-outros-android-e-iphone-de-graca/

De longa data, o Viber apresenta várias funções que fazem dele um aplicativo muito mais completo que o WhatsApp e, pela ironia do mercado (aquela mesma que levou o MSN a ser mais famoso que toneladas de outros programas muito melhores e mais estáveis), nunca teve tanta fama quanto seu concorrente direto.

Usuários mais antigos reclamarão que o aplicativo era um pouco pesado, demorando a rodar em celulares mais antigos e com qualidade de vídeo duvidosa – mas muitos desses bugs foram resolvidos e, nos celulares atuais, roda perfeitamente. O maior ponto positivo para o Viber é que ele conta com uma plataforma de uso no PC e você não precisa fazer nenhuma gambiarra pra poder utilizá-lo enquanto está longe do celular. Ponto para o roxinho!


(2) Voxer

Fonte da imagem: http://reviews.cnet.com/software/voxer-walkie-talkie-ios/4505-3513_7-35813071.html

O Voxer transforma seu celular num Walkie-Talkie, pra quem nunca teve infância. A proposta do aplicativo é exatamente trabalhar mensagens de voz, imagens e vídeos, deixando o texto de lado (embora haja a possibilidade de enviar texto, não se engane!). Pode parecer meio estranho para quem está acostumado a digitar desde… bem, desde que pegou o primeiro celular na vida, mas a qualidade do áudio e a intuitividade do aplicativo surpreende e conquista seus usuários – que podem escolher ouvir a mensagem enquanto ela ainda está sendo gravada (sem ficar naquele drama esperando o “gravando áudio” sumir do status). Serve bem para quem tem mania de conversar só por áudio no whatsapp.


(3) Tango

Fonte da imagem: http://www.ilifegeeks.com/the-top-5-apps-for-mobile-video-calling/

O Tango traz algo que as empresas de telecomunicações tentam fazer há anos mas não conseguem – videochamadas práticas, fáceis e de qualidade. Claro, se o seu celular não tem câmera frontal ou você faz uma gambiarra conversando no banheiro com as pessoas ou você fica mostrando o chão pra pessoa, mas é um aplicativo que vale a pena testar, nem que seja pelo design prático (que vai te prender a ele como nenhum outro aplicativo dessa lista).

O segredo do Tango pra lutar contra ele mesmo, o Skype, é simples: você não precisa de uma conexão excelente (3G já basta) e ele faz chamadas grátis para telefones. Sim, isso mesmo, através da 3G o Tango faz ligações para números de telefone, assim como o Skype, só que grátis. Já correu pra baixar?


(4) Line

Fonte da imagem: http://goodkindofgeek.com/2013/02/08/line-app-reviews/

O Line faz sucesso no Japão. Isso já deveria soar como uma espécie de aviso para qualquer usuário, mas a gente explica ainda mais. Junto com o aplicativo, já vem uma série de stickers (porque vocês ficam inventando nomes novos para emoticons?) no pacote e você pode baixar ainda mais uma infinidade quando já estiver usando o aplicativo. Super-fofo né? Pois é, exatamente isso. No Line você vai definitivamente lembrar porque você detestava aquele monte de carinhas no MSN e pessoas que conversavam com letras coloridas e piscantes (embora não esteja tão ruim a situação).

Mas calma, nem tudo é tão triste e vileiro no Line: o aplicativo conta com uma timeline que você pode usar como eram os status do MSN (o que pode ser bem prático muitas vezes) e são interativos (ao contrário dos do Whatsapp, que são apenas mensagens estáticas que ninguém olha) e o aplicativo também faz chamadas grátis para os usuários asiáticos (bom, você sempre pode ir pra Indonésia de vez em quando né).


(5) Telegram

Fonte da imagem: http://www.phonearena.com/news/Telegram-secure-instant-messaging-app-review-encrypted-speed_id52251

O mais novo queridinho da web é o Telegram. Apresentado como solução definitiva por ser open-source (o código fonte é público, qualquer um pode vê-lo), foi abraçado por quem ama software livre e divulgado como se fosse “200% seguro” – há até um prêmio de alguns milhares de dólares para quem conseguir hackear o aplicativo.

Tá, mas beleza, qual o ponto da boniteza do Telegram? Lembra do Snapchat, aquele app que você pode mandar fotos e vídeos que vão ser auto-destruídos depois de visualizados? Você pode configurar o Telegram para fazer isso com conversas inteiras, algumas mensagens ou até mesmo fotos. O ponto chateante do aplicativo é que ele não tem suporte para mensagens de voz – e nem está nos planos dos seus desenvolvedores.


Já escolheu o seu?


_Oi, boa tarde, eu tô fazendo uma pesquisa, você pode me responder algumas perguntas?

_Posso.

_Primeiro eu precisava saber seu nome, ou só um apelido, pra eu identificar suas respostas e separar das outras.

_Aninha

_Obrigado Aninha. Você sabe como é, nos últimos dias, tudo que se fala é sobre segurança, cuidados pessoais, como evitar assaltos, roubos e outras abordagens, principalmente quando se trata de mulheres né? (Continua falando um pouco sobre a insegurança pública, sociedade de risco e etc) Então eu queria te perguntar: você se incomoda com abordagens masculinas? Sim, não ou depende?

_Depende,

_De 0 a 10, sendo 0 totalmente aberta e 10 muito incomodada, como você se sente com desconhecidos te cantando?

_6.

_Certo, então você se sente levemente incomodada, né? Você diria que depende da pessoa que tá falando, do horário, como é?

_Ah, mais pelo horário e local. Aqui é bem movimentado, então não me incomodo muito, às vezes é até legal ouvir um elogio ou outro, não aquelas coisas de pedreiro, né? Mas eu moro num lugar mais afastado, não tem quase ninguém andando nas ruas, e quando começa a escurecer então, é meio assustador, seja quem for…

_Aninha, só pra confirmar então: você por aqui, no centro, saindo do trabalho, do trabalho, certo? E vem um cara qualquer, normal, como… Como eu, por exemplo, e te elogia. Tudo tranquilo, você não se sente assediada ou incomodada de alguma forma?

_Acho que não…

_Então queria dizer que você é muito linda, Aninha.

[Problema resolvido]


Toda vez é a mesma coisa. Seja um serial killer, um vampiro-que-não-brilha, um lobisomem ou um fantasma, o erro das vítimas é sempre o mesmo. Visando aumentar a expectativa de vida dos personagens de filme de terror, traremos aqui algumas dicas para te ajudar, caso você se encontre numa situação dessa – afinal, pode acontecer com qualquer pessoa.


#01- Não vá para o meio do nada

(O Segredo da Cabana, Arraste-me para o Inferno)

Sério. Coisas estranhas tem acontecido, folhas te perseguindo, redemoinhos, vidros sendo quebrados e você vai fazer o que? Vai pro meio do nada. Aí para num posto de gasolina (ou qualquer outro lugar) e encontra um velho com cara de defunto e palavras de profeta e faz o que? Continua indo.

É impressionante como um pouco de caos e sangue pode estimular a libido das pessoas.

Amigo, você merece se ferrar, na boa. Dica 01: sempre ouça os velhotes bêbados de voz grossa. No fundo das suas vozes ecoa um pouco de verdade.

#02- Nunca deixe janelas abertas

(Arraste-me para o Inferno, Premonição I a V)

Assim – tá, questões de segurança. Você já mora numa casa sem muro, no máximo com uma cerquinha que até cachorros pulariam com uma facilidade impressionante, quem dirá ladrões, bandidos, sequestradores, e não me venha com o American Dream, pessoas morrem por aí por muito menos (e com muito mais segurança).

Com a janela aberta, você pode finalmente deixar de dormir sozinho.

Mas agora na boa. Depois de tudo aquilo lá, você insiste em deixar janelinha aberta – vai falar que tá com calor, mané? Só falta ter ido pro meio da floresta, numa cabana de madeira e deixado as janelas abertas – uma clara violação às duas primeiras regras de como se manter vivo numa história de terror. Dica 02: morra afogado no seu próprio suor, mas não deixe a porra da janela aberta.


#03- Não filme, eles são exibicionistas

(Bruxa de Blair, Atividade Paranormal)

Cara, raramente aparecem fantasmas por aí. Quando aparecem, não é todo mundo que consegue vê-los. Deve dar uma puta crise de identidade nesses caras, por isso quando eles percebem que existe uma pequena chance de todo o mundo contemplar a sua glória –meu amigo… A coisa fica feia.

Câmera no quarto e vai falar que era por causa de fantasminha, aham.

Então, cara, não filme – por mais que você queira por no Youtube e ganhar milhões no Adsense, Dica 03: Não filme, nem conte para a ninguém – se não houver público, eles logo vão desanimar. Acho.

#04- Não procure invasores sem antes acender as luzes

(Atividade Paranormal, Sexta Feira 13 –dica da Indiana)

Cara, você não enxerga no escuro. Tá, o invasor (se for humano), também não – mas e se ele não for? Não adianta você estar com um taco de beisebol se você nunca acertou nada além de bolas brancas (e nem todas por sinal), e se você não consegue ver o que deveria atacar. Você vai acabar quebrando sua própria mobília (sempre acontece isso) e se machucando.

Se você ligasse a luz, ao invés de aparecer direto com um taco de baseball, ele ia até te oferecer um gole.

Então, Dica 04: só procure o invasor no escuro se você quiser se machucar sozinho, e tornar as coisas mais fáceis pra ele. Vai saber o objetivo de cada um, né.