Ciclista é tão egoísta quanto motorista. Várias rimas numa frase tão curta, veja só. Eu poderia até ir além e dizer que o egoísmo é inato do ser humano e falar psicologicamente sobre as ações de crianças e de como a sociedade influencia nesse egoísmo e prepotência, mas eu vou parar por aqui porque eu tenho um foco neste texto: ciclista é tão egoísta quanto motorista.


Todo mundo já viu uma bicicletada, ou pelo menos ouviu falar, depois do que aconteceu lá em Porto Alegre, quando um motorista, seja por pânico, seja por raiva, atropelou mais de 20 ciclistas numa avenida central – e dentre os valores que eles propõem é que a bicicleta é um transporte mais comunitário, mais humano, e o carro nos torna mais violentos e egoístas.

É uma coisa a se pensar, não estou dizendo que somos extremamente racionais quando somos fechados ou quando tem alguém indo a 5 km/h a menos que gostaríamos (eu não passo muito por isso por ser motoqueiro, mas acredito que tenha passado bastante raiva nos outros enquanto costuro o trânsito) – mas a bicicleta pode nos tornar tão ou mais egoístas do que somos dentro de carros.

Primeiro porque ciclista tem a manha de se achar melhor – não, não importa se você é officeboy e precisa da agilidade e rapidez de uma moto pra atravessar a cidade em 10 minutos, você é um ser humano pior que os outros porque não anda de bike; não importa se você anda de ônibus, você, além de ser pior que quem anda de bike ainda é pobre.

E o segundo, e mais lindo, é um movimento que surgiu em Uberlândia no começo desse mês, por conta de uma ciclovia da cidade. Essa rua abaixo que vocês podem ver, é a Rondon Pacheco, uma das principais, quiçá a principal avenida da cidade, e tem duas pistas de ciclovia (veja bem, ciclovia, não ciclofaixa – é uma pista construída especificamente para bicicletas, separada das faixas de carro). Existem DUAS dessas, uma de cada lado da avenida, e em cada uma delas dá pra andar tranquilamente em duas bicicletas uma ao lado da outra.

O que aconteceu neste paraíso ciclístico? Bom, desde que essa Avenida existe, antes das ciclovias, antes de ter quatro faixas pra cada lado de carro, ela é utilizada pra caminhada/corrida por pedestres – e algum ser humano propôs que uma das ciclovias fosse convertida em pista de caminhada, pra separar bicicletas de pedestres e todo mundo ficar seguro.

Poxa, que linda ideia você aí deve estar pensando foi uma coisa realmente genial. Os ciclistas como defensores do meio-ambiente, de uma vida saudável é claro que não só toparam como defenderam os direitos dos pedestres, certo?

Claro que não. Na verdade, assim como igrejas, partidos políticos e a mídia alternativa, os ciclistas se mostraram tão parciais e alienadores – e tão egoístas quanto os temíveis motoristas de carro.

Parabéns, hipocrisia, você venceu mais uma!

Ciclista é tão egoísta quanto motorista.

Categoria: Sem categoria
79 views