O diferencial de Judas é que, basicamente, ele era estrategista. Acostumado a lidar com dinheiro, Judas sabia como trabalhar com o dinheiro, e financiar todo o ministério de Jesus – ele organizava estratégias e cuidava dos cortes de custos necessários pra se fazer mais com menos.

Judas foi um cara que serviu a Jesus com o que ele tinha de melhor, com o que ele fazia melhor: controle e estratégia financeira; mas trouxe também para o seu chamado uma coisa que, aparentemente, não deveria causar tanto prejuízo assim: sua vontade de crescer.

Ah, vamos lá, vontade de crescer não é pecado. O problema é quando você acha que seu modo de fazer é melhor que o de Jesus. Jesus tinha um plano, uma maneira, Judas queria pegar em armas, e colocar fogo no circo. Jesus trabalha de maneira discreta, nunca se envolveu com política; Judas queria que Jesus fosse eleito pelo povo. Judas se preocupava com a parte financeira do Ministério, para que a mensagem alcançasse cada vez mais pessoas, cada vez mais longe; Jesus queria que sua Palavra fosse passada pessoa a pessoa, um a um, intimimamente. Jesus queria ir pessoalmente ver as pessoas; Judas queria montar palanques e estruturas que pudessem trazer conforto às pessoas.

Judas tentava guiar o ministério de Jesus como uma empresa: dinheiro em caixa, pessoas novas sendo atingidas e um marketing envolvente, que atraísse pessoas a essa maravilha que era seguir a Jesus, e fizesse profundas mudanças na sociedade.

Jesus fez seu ministério como uma família: não é feito para massas, mas exige um tratamento individual, de troca (não apenas de doutrinação) de experiências, de amor, de planejamento e liderança inclusivos, que fizesse profundas mudanças nas pessoas.

Qual o guia do seu ministério hoje, Judas ou Jesus? E qual vai ser sua postura diante disso, fugir ou comprar essa briga?

O diferencial de Judas

Categoria: Igreja
2
73 views

2 comments

  • Da onde você tirou essas características de Judas?

    • Cara, Judas lidava com dinheiro por profissão (João 13:29). A mentalidade de um contador, por assim dizer, numa empresa é alavancar os lucros com o menor gasto possível.
      Dá pra ver uma faísca dessa visão de Judas em João 12:1-6, quando ele exorta Maria, por ter derramado perfume aos pés de Jesus – ele se torna utilitarista, com os pés (e olhos) aqui na Terra.
      Por fim, ele traiu Jesus por ambição (Lucas 22:03-06).

      A comparação surgiu pela preocupação de Judas ser eminentemente com o dinheiro e a arrecadação – e como esse dinheiro poderia mudar a vida das pessoas (dos pobres com o dinheiro arrecadado pela venda do perfume), com a preocupação das igrejas atuais em arrecadar dinheiro para manter estruturas de alcance às pessoas.

      O evangelho de Jesus não é o de palco, de templo, ou de TV – é o mano a mano, coisa que Judas e a igreja protestante não entenderam

Deixe uma resposta