Uma das matérias mais procuradas por estudantes de Jornalismo é o jornalismo opinativo. O que de fato, é bom. É bom que as pessoas comecem a se interessar por algo além do LEAD e que tentem ir atrás do ‘algo mais’ que falta ao jornalismo tradicional.


Mas também é preocupante. Cada vez mais se busca fundamentar a própria opinião frente à pauta do que efetivamente conhecer a pauta e, dentro de um trabalho de apuração  jornalística, opinar acerca dela, mostrando um viés específico – igual no fundo, acontece na nossa vida cotidiana, pessoalmente.

O problema desse jornalismo que é um meio de se provar e/ou justificar a opinião do jornalista é que ele é tão desserviço quanto o jornalismo de LEAD que joga uma informação crua para o receptor – ele não acrescenta nada, ou pior, reforça preconceitos internalizados.

Da mesma forma que um cristão vai ler um texto com o pressuposto da sua fé, o estudante de jornalismo hoje corre atrás da pauta para provar suas opiniões pré-concebidas. Encaixa as fontes que acredita serem necessárias, ignorando outras ou buscando estereótipos para reforçar o fato que “o outro lado é uma merda”.

Problemático porque, bom, pessoalmente, na sua individualidade, ser assim já é problemático. Primeiro porque você se torna um guardião de conservadorismo e senso comum sem sentido, repetindo preconceitos e estereótipos ultrapassados ou ainda estabelecendo novos. Quando se trata de um jornalista, emissor de informações à grandes massas que fez um curso superior para, teoricamente, saber como lidar e tratar com estas informações de relevância e modificar o status quo social então – aí a coisa perde o rumo.
Não adianta ser de humanas, liberal, lutar contra o capital e a propriedade privada se as informações que são emitidas são tão deturpadas ou alienantes como as de seus arqui-inimigos mais ardilosos. Porque se há uma luta de classes, e se há uma defesa do trabalhador, do proletário ou do oprimido, esta defesa deveria se esforçar para a sua libertação, não para novas amarras e correntes diferentes ou mais reluzentes.
Se alguém deturpa a verdade, não pode ser amigo do povo. Não pode ser jornalista, com ou sem diploma. Com ou sem opinião.


Dos “jornalismos” opinativos

Categoria: Opinião
1
311 views

1 comment

  • Os titulos encontram-se dentro dos generos informativos, assim como a fotografia e um dos componentes dosgeneros visuais. No caso dos titulos, sua importancia no jornalismo deve-se ao despertar do interesse publico. Sabe-se que a maioria dos leitores passa os olhos apenas nas manchetes, dai a relevancia de um titulo bem elaborado.

Deixe uma resposta