O romance hoje é todo diferente. Eu lembro do dia que li um tweet seu pela primeira vez, com aquela foto 60×60 pixels, em que você defendia alguma coisa que eu não lembro o que era. Eu lembro de clicar para ler sua biografia e ver um resumo seu em 160 caracteres que, bom… era bem acertado. Eu ri da minha própria bobeira, e só lembro de um dia, depois de trocar algumas mensagens com mais de 140 caracteres, ter o seu telefone, ouvir sua voz e ver os eu sorriso pela webcam.


Não lembro de ter falado uma coisa que presta a noite inteira, mas algumas verdades permanecem até hoje – wal e você é linda são algumas delas. Porque toda vez que chega uma mensagem sua no facebook, eu fico bem wal, e toda foto que te vejo, eu tenho cada vez mais certeza que você realmente é linda (e não era interferência que me dava aquela impressão).

Se eu fosse o Buchecha, eu contaria os dias contaria as horas pra te ver, mas eu realmente acho que o relógio esteja de mal comigo – ou pelo menos de pagode com a minha cara. Olho a conta pensando em como vou fazer, dar a louca pra poder te abraçar, ver o seu sorriso de perto e poder fazer um brinde contigo.

O romance hoje é todo bobo. Não está em sair pra um jantar e cinema, ou nem em mandar de presente um ursão de pelúcia do tamanho do mundo. O romance não é mais tão caro quanto os filmes fizeram a gente acreditar, há alguns anos.

O romance tá em uma ou outra DM trocada, em comentários e tweets indiretos e em boa parte dos sorrisos pra se dar. O romance agora é pra todo mundo. Hollywood falhou.

Ainda bem.

Hollywood falhou com o romance.

Categoria: Opinião
0
54 views

Deixe uma resposta