Um spammer me mandou a algumas horas atrás um vídeo em que ele pregava no Youtube – e eu não vou nem comentar o tanto que me chateia crente fazer SPAM, porque ao invés dos incrédulos que sabem que estão sendo cretinos e querendo só mais alguns centavos no adsense, o cristão nem uma mania de querer dizer que está espalhando a palavra de Deus, como se Jesus tivesse espalhador vários panfletos por Jerusalém.


Mas o mais interessante é que a pregação era sobre dar seus bens aos pobres, assim como Jesus recomendou ao rapaz rico. Nessa pregação, ele tocou em dois pontos muito importantes, um indiretamente e outro de maneira direta, que eu vejo como problemáticos no jeito de se fazer igreja que adotamos por aqui.

O primeiro, direto, é voltar a pregação do dar tudo o que tem para dois públicos: o que tem dinheiro (e os pobres ficam necessariamente esperando que os ricos deem todos os seus bens, para fazer uma certa justiça social dentro da igreja, pra todos viverem com pouco) e os que acham que dar tudo é dar dinheiro (como se Jesus fosse apenas o precursor do comunismo). Uma visão assim transforma a igreja em um tipo de ONG deficiente, na qual os mais pobres vêm buscar cestas básicas e artigos de luxo e os mais ricos vêm satisfazer a sua culpa capitalista, por ter mais que os outros.

O segundo, e indireto, é que os mandamentos não são cláusulas de um contrato assinado com a Trindade em realizar todas aquelas atitudes pela sua permanência no Livro da Vida. Sem entrar em picuinhas entre calvinistas e arminianos aqui, a Salvação é uma Graça. Não é cumprindo uma série de pré-requisitos que você vai conseguir ir para o Paraíso. Não é se obrigando a dar o dízimo, se obrigando a ir à igreja, e se obrigando a parar de falar palavrão e suportar (no pior sentido da palavra) os irmãos que você vai conseguir ou deixar de conseguir algo.

Se Ananias e sua esposa foram mortos não é porque deixaram de dar parte de seus bens, mas porque mentiram, fingindo ser parte de um Corpo que na verdade não eram. Naquela mesma igreja, tenho absoluta certeza que pessoas não venderam seus bens e continuaram fazendo parte da igreja, vivinhos da silva e que ninguém tinha motivos pra duvidar que logo logo estariam sendo servidos de danoninho no banquete inaugural do paraíso.

Os mandamentos não são cláusulas contratuais da Agência de Turismo Vamos Ao Céu Com O Pastor [insira um nome aqui] que se você quebrar, a salvação estará anulada. Os mandamentos são linhas-guia que vão guiar a mente já transformada pela conversão à Cristo Jesus em sua caminhada.

Afinal, as placas de trânsito só auxiliam e dão o caminho para quem está em uma determinada direção – quem está na contramão não as vê.

Igreja pra aliviar consciência?

Categoria: Igreja
41 views