Manipular informações é algo usual na nossa convivência – e nem sempre é necessariamente mentir, é visto quase como uma visão positiva ou dependente do ponto de vista. Os números existem a rodo, e as estatísticas hoje podem ser muito mais completas com a possibilidade de se acessar quase todos os bancos de dados oficiais com meia dúzia de cliques.


Todo mundo quer mostrar um paradigma melhor pro cliente, ou pro chefe, mesmo que para isso tenha que mudar um pouquinho qual seja esse paradigma. Isso na publicidade é mais normal do que dar cano em gráfica – desde os 9 em cada 10 dentistas que recomendam uma certa pasta de dentes (e esconder o fato de que eles recomendam QUALQUER TIPO de pasta de dentes), até aprovação em vestibulares.

Cursinho pré-vestibular é mestre em trabalhar com isso. Se existem muitos alunos, trabalham com o porcentual de alunos aprovados/vagas do curso: 75% das vagas de Direito são nossas, mas são 100 vagas pra direito, tiveram 75 aprovados. Claro que eles não avisam que tinham aproximadamente 350 alunos prestando Direito, e a porcentagem mais realista de aprovação deles foi de 21% dos alunos que prestaram.

O marketing digital também é cheio disso. Hoje mesmo vi um dado de que apenas 5% dos brasileiros reclamam das empresas nas redes sociais. Nossa, que povinho parado, né? O problema é que só 45% dos brasileiros tem acesso à internet. Desses 45%, apenas 38% acessam a internet diariamente, o que é um tempo além de jogar CS e Farmville. Isso quer dizer que apenas 17% dos brasileiros tem acesso constante na internet para ter tempo de reclamar sobre empresas. Oras, o dado final é que praticamente 30% dos brasileiros que tem acesso diário à internet reclamam nas redes sociais. Um terço é muita coisa, não?

E qual o problema dessas manipulações de dados? Com a informação errada, ou pelo menos com o ponto de vista errado, investimentos tidos como certos vão por água abaixo, publicidades para atingir um público-alvo falham miseravelmente e a empresa vira vilã ao invés de ser consumida e campanhas políticas e evangelísticas inteiras não tem resultado nenhum.

Ter a informação e não saber geri-la pode ser pior do que não ter informação alguma e ser cauteloso. Cuidado no que for falar pro seu chefe, ou pro seu cliente só pra poder cobrar um pouco mais no serviço.

Manipulação de dados

Categoria: Utilidade Pública
75 views