Não, eu não votei no Tércio Jr. E pastor, bom, pastor é ele no púlpito, no palquinho da igreja. Há vinte e cinco anos, desde que surgiu Sal da Terra, um princípio da igreja era não apoiar oficialmente nenhum candidato. E foi assim, pastores se candidataram, alguns foram eleitos, outros não, mas nenhum contou com apoio oficial da igreja, e todos os candidatos que apareceram e compareceram aos cultos, tiveram seus 5 minutinhos de fama no palco, independente de partido ou convicções ideológicas. Esse, na verdade, foi um dos motivos pra eu permanecer nessa igreja. Só que esse ano, sabe lá Deus porque, o tal do Tércio Jr resolveu candidatar.

E, mesmo que a campanha não fosse oficialmente apoiada pela igreja, de repente, o cara passeou por mil e uma comunidades Sal da Terra Minas Gerais afora, pregando, e, hãm, falando que era candidato e o que pretendia fazer, em 20 a 30 minutos. Por mais que ele fosse lá pra pregar, o discurso era o mesmo. Vamos santificar a política, vamos tirar esse mar de maldade do mundo, e purificar tudo aquilo, ah, véi, morre arrebate-se.

Se fosse assim eu votava era no Eymael, e as Marchas pra Jesus teriam mais efeito do que causar rixas e mostrar o preconceito entre denominações distintas. Amarrar o diabo tem tanto efeito como passar no corredor de purificação ou comprar a redinha sagrada abençoada pelas Aleluias de Deus, e vou ainda mais longe: dar um mergulho na piscina de batismo.

Pelo amor de Deus, se você leu o novo testamento (não vou nem falar do velho) por si só, percebeu que o batismo nas águas é SIMBÓLICO, e não vale nada, porque dizer meia dúzia de palavras, qualquer um pode. E não é porque fulano ou cicrano ora por você que sua vida vai mudar.

A tão famosa mulher do fluxo de sangue, que corria por 20 anos, não pediu pro pastor orar por ela. Ela foi até Jesus, ela orou, ela buscou, ela creu. Essa é a diferença. Não é o reverendo, o pastor, o padre, o ministro, o apóstolo ou o raio que o parta que vai mudar a intenção do SEU coração e muito menos do coração de Deus.

O ungido do Senhor só serve pra ser escorregadio, tá? Cheira o suor dele e descubra: ele também fede, como você. Ele também precisa de passar Rexona pra alguém suportar ficar perto dele, como você. Tá bom?

Se o seu pastor não precisa usar desodorante e tem um dom sobrenatural de cura e transformação, amarre ELE, porque ele que é o Anticristo. Mas eu mudei de assunto.

O problema não é crente, católico ou umbandista se candidatar. O problema não é pedir pra sua comunidade eclesiástica votar. O problema não é pensar que lá, no Poder Legislativo ou Executivo, você vai conseguir trazer um pouco da justiça de Deus.

O problema é você pensar que esse é o único caminho.

Será que nunca pararam pra pensar porque Jesus nunca se autoproclamou rei dos Judeus? Fora a minoria de fariseus, facilmente ele seria levado ao poder por aclamação popular, e o Sinédrio nada poderia fazer quanto a isso. E, uma vez no poder, espalhar a sua Palavra, e sua Boa-Nova, não seria infinitamente mais fácil? Uma vez no poder, não seria mais fácil espalhar a justiça social?

Mas era isso que Jesus queria para si? Se Jesus que era Jesus não quis se envolver políticamente, porque você recebeu O Chamado?

Não estou dizendo que não recebeu, mas se recebeu, não utilize a conseqüência como causa. Você pode falar que recebeu O Chamado pra ser político, depois que se candidatou, foi eleito e fez um bom trabalho.

Eu não posso falar que tenho o dom pra ser pastor se eu nunca preguei, ou falar que tenho o dom de cantar se eu nunca fiz uma aula de canto.

Porque o dom de política é o único dom automático? Porque assim, os Ungidos do Senhor para se candidatar, recebem o dom e PÁ, tão prontos pra exercer suas funções. Porque todos os outros dons tem que ser treinados e desenvolvidos, todas as outras pessoas tem que ser capacitadas, mas não os políticos?

Eu hein, coisa esquisita.

E assino embaixo desse post do Ariovaldo Jr., sobre orar pelas autoridades.

Política – você está fazendo isso errado (III – Crentes)

Categoria: Opinião
2
31 views

2 comments

Deixe uma resposta