De estereótipo tá todo mundo cansado, ninguém diz aguentar mais do mesmo sempre, toda vez. Os filmes de comédia romântica são os mesmos, os de terror não mudam; as músicas não tem o menor segredo (mas cá entre nós quando o sertanejo evoluiu e foi pra universidade ninguém gostou) – nada se cria, tudo se copia.

Mas a verdade é que é dos estereótipos que todo mundo gosta, e são eles que movem o mundo. Quer um exemplo?

O estereótipo musical da menininha que era punk desde criança, era zoada por isso, não trai o movimento, ao contrário do João Gordo, dá a volta por cima e hoje é feliz, doidona e legal. Sério, funcionou com a Avril Lavigne, com a Jessie J (espero, para o seu bem que você nunca tenha ouvido falar dela), com a Pitty e até com aquela bizarrice que o Ozzy Ousborne chama de filha, a P!nk.


Todo mundo adora a história de uma coitadinha que se superou e cresceu na vida – tanto na ficção como na realidade. Susan Boyle é uma dessas historinhas cantadas nas músicas que realmente aconteceu de verdade – a diferença é que ela não era uma punk levada da breca, era só feia.

Porque gostamos tanto do patinho feio? Não precisa nem ressuscitar Freud pra explicar essa não – a verdade é, e vou roubar uma frase do Jeff Winger (Community) – nenhum de nós reconhece o que temos de bom; e quem diz que é bom é tido como um babaca, por mais que seja verdade. Você no fundo é um patinho feio, feio como Susan, sofreu bullying como Avril diz ter sofrido. (pára pra pensar> todo mundo diz que sofreu bullying. Os bullies todos morreram foi isso que aconteceu?).

Ser patinho feio faz sucesso. Mesmo que de mentirinha.


Estereótipos que sempre dão certo #1

Categoria: Sem categoria
1
74 views

1 comment

  • O lance de amar o patinho feio é que as pessoas de identificam, e ficam torcendo para a vida refletir o conto de fadas. Ps: a filha do Ozzy não é a Kelly? o_o

Deixe uma resposta