Algumas coisas eu luto, luto, luto – e não consigo tentar entender. Não sei se são as convicções que, bom, não são tão convictas assim, se o mundo dá voltas rápido demais ou se as coisas realmente não fazem sentido. Porque tem alguns valores muito contraditórios em cena, durante as frases prontas.


Em tempos de citações de ClariSSe Lispector e Caio de Abreu, não se sabe mais quem disse o que e como disse; mas pelo menos uma certa ordem deve-se ter: a pessoa que cita, cita por um motivo: concorda com aquilo, sente aquilo, vive aquilo.

Um cristão cita a Bíblia porque as Escrituras fazem sentido no processo de mudança e transformação que ele acredita estar passando. Um advogado cita um famoso jurista porque tem intenção de salvar seus interesses de acordo com aquele pensamento (nunca vi advogado citar tese contrária à que está defendendo como se fosse correta). Um professor ensina aquilo que acredita ser verdade. Todo mundo fala do que acredita.

Então, o que eu não consigo entender, é como a mesma pessoa que pega aquela corrente de começo de Orkut Usamos as pessoas e amamos as coisas, claramente falando que deveríamos nos importar mais com o ser humano, deveríamos amar uns aos outros, buscar o bem, harmonia, paz mundial e mais tudo que caiba em uma pitada do cigarrinho de palha pode virar e citar Nietzsche e dizer odeio quem me rouba a solidão sem me oferecer verdadeira companhia.

Porque, pombas. Você odeia que usem as pessoas, mas você mesmo só as tem como objetos para satisfazer as suas necessidades . Ou será que não é tão errado usar as pessoas assim? Ainda não entendi. Quem sabe um dia não tenho uma iluminação sobre isso? Aí eu compartilho com vocês.

Enquanto isso, peço desculpas a quem eu não ofereci verdadeira companhia, seja lá o que isso for. Provavelmente satisfazer todos os desejos de maneira incondicional – e disso, meu amigo, você pode esperar sentado. E a quem me ofereceu verdadeira companhia, já agradeço, ao mesmo tempo que peço desculpas. Porque provavelmente não ofereci de volta.

Sobre roubar solidão e não oferecer verdadeira companhia.

Categoria: Opinião
0
131 views

Deixe uma resposta